Audaces - Improve your design

Design de moda com foco em resultados para seu negócio

Ícone de Pesquisa

29/10/2015

O que é prêt-à-porter

Por Kledir Salgado
Designer de moda com Mestrado em Têxtil e Moda pela USP

Para entender o que é prêt-à-porter, vamos voltar no tempo. Nos primórdios da alta-costura, por volta de 1900, fazer uma coleção e administrar a casa de moda era a função do criador de moda; o fluxo de peças feitas era menor e o desafio estava na qualidade. Com o surgimento do prêt-à-porter nos meados do século XX, tudo mudou. A indústria de moda se aperfeiçoou, unindo a eficiência produtiva da indústria de massa e da qualidade produtiva da alta-costura.

A confirmação deste novo mercado já vinha sendo anunciada por vários fatores, isto é, seu processo de construção acontecia desde o século XIX com as seguintes evidencias: já existia a venda por catálogo nos Estados Unidos; já existia também loja de departamento em Nova York, Londres, Paris e Berlin; e a produção sobre licença apareceu também como indício desta evolução.

Na década de 1930, Elsa Schipiarelli, Chanel e Madeleine Vionnet criaram e produziram acessórios que antecipavam o prêt-à-porter. Lucien Lelong também criou uma segunda linha para sua alta-costura em 1934 e, posteriormente, na década de 50, alguns criadores franceses criaram o “Couturier Associés”, criando modelos em série com menores preços, dentre eles: Jean Desses, Jacques Fath, Robert Piguet, Mme. Paquin e Carven e, a partir de 1960, reúnem-se a eles Jaques Heim, Mme. Grès, Jeane Lanvin e Guy Laroche.

Ainda não se pode deixar de citar a parceria de Dior, em 1953, com a loja de departamento japonesa Daimaru, onde o francês concedeu uma licença para que fosse criada a coleção Daimaru Dior Salon, também com roupas mais próximas do que seria o prêt-à-porter.
 


Vestido da coleção Daimaru Dior Salon (1958), feito no Japão sob licença da Dior.

O prêt-à-porter não foi gerado somente da configuração produtiva americana, mas sim uma construção conjunta entre EUA e Europa, e a integração desta cadeia produtiva. Então, de fato, o que é prêt-à-porter?

Prêt-à-porter vem a ser uma determinada organização em melhoria de qualidade da indústria de massa; é a roupa pronta para ser levada, mas com pesquisa de tendência envolvendo toda cadeia têxtil.

A partir da década de 1960, houve uma divisão do prêt-à-porter, fragmentando-o em três níveis fundamentais:

  • Prêt-à-porter clássico — vendido nas grandes lojas. Na época o setor não se diferenciava muito do que se vendia nas lojas de departamento desde o início do século;
  • Prêt-à-porter de estilo — aparece em 1964, destinado a jovens, com formas e cores mais ousadas, vendidas em lojas de novo conceito as boutiques — que oferecem coleções de vários criadores e estão sempre associados à música em volume alto;
  • Prêt-à-porter de luxo — destinado à clientela da alta-costura que busca novas alternativas para o dia a dia, preço menos exorbitantes, mas com alta qualidade no design, no material feito.

Assim surge este conceito prêt-à-porter dotado de uma sensível evolução na qualidade das roupas de massa, a coordenação de coleção exercida pelos escritórios de estilos. Alta-costura e prêt-à-porter não podem ser compreendidos como meros rivais, mas uma evolução de métodos que surgiram desde a Revolução Industrial, passando pelos avanços em desenvolvimento de produto e encontrando uma plataforma fértil que organizava este novo universo da moda.

Alguma dúvida sobre o que é prêt-à-porter? Deixe sua pergunta nos comentários!
 

Leia mais:
O tempo e a ciclo de vida do produto de moda
Liquidações não atraem consumidores como antes
Como tornar seus designers de moda mais produtivos

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Você também pode gostar de ler:

Novembro Azul

30/11/2020

Novembro Azul: A cor da moda para os homens

Escrito por Audaces

produto-de-moda-desenvolvimento-industria-4.0-audaces

24/11/2020

Como aperfeiçoar o produto de moda com tecnologias da Indústria 4.0

Escrito por Audaces

indústria têxtil

24/11/2020

Indústria têxtil: matérias-primas podem ser naturais e químicas?

Escrito por Audaces