Novembro Azul: A cor da moda para os homens15 min read

Sumário:

Qual a cor que domina o seu mês de novembro? É certo que muitos associam este mês em particular ao preto por conta das promoções da Black Friday. Contudo, o mês chama à reflexão com a campanha Novembro Azul.

Seguindo a linha das cores que começa com Setembro Amarelo, com a prevenção ao suicídio e Outubro Rosa, com a campanha de conscientização sobre Câncer de Mama, agora é a vez dos homens também pensarem sobre saúde.

Campanha Novembro Azul

A Campanha Novembro Azul foi criada inicialmente na Auatrália para alertar sobre a importância da prevenção do câncer de próstata. Hoje, no entanto, a campanha ocorre em nível mundial, e abarca a conscientização sobre todas as doenças masculinas.

O Instituto Nacional de Câncer (INCA) inclui na lista outros tipos de câncer, como o de pênis e boca. Alerta, ainda, para tabagismo e excesso de consumo de álcool, questões recorrentes na população masculina. Por isso o INCA criou a hashtag #SaúdedoHomem, para chamar a atenção sobre todos estes problemas.

hashtag Saúde do Homem
#SaúdedoHomem: Hashtag criada pelo INCA para chamar a atenção para a saúde masculina

Câncer de Pênis

Sobre o câncer de pênis, você sabia que a maior causa da doença é a má higiene íntima? Sim. Acredite se quiser! Para que se possa falat sobre este assunto, uma das ações do Novembro Azul foi lançar o perfil Lave o Dito Cujo no Instagram. Assim o perfil, encabeçado pelo Instituto Lado a Lado, trata o assunto de forma leve e bem-humorada. Homens, lavem bem seu companheiro!

Imagem da Campanha Lave o Dito Cujo no Instagram.

O foco das atenções da Campanha Novembro Azul, contudo, continua sendo o Câncer de Próstata.

Por que falar de câncer de próstata?

Simples. Homens têm a fama de não cuidar muito da sua saúde. Ao mesmo tempo, o câncer de próstata é o mais frequente entre os homens, perdendo apenas para o câncer de pele.

Vamos aos números. O câncer de próstata representa 29% dos diagnósticos de câncer no Brasil. É a segunda causa de óbito oncológico entre homens. O Instituto Nacional de Câncer (INCA) estima que serão 65.840 novos casos a cada ano entre 2020 e 2022. Já a Sociedade Americana do Câncer calcula 191.930 novos casos nos Estados Unidos só este ano e 33.300 óbitos pela doença.

O Dr. Marco Aurélio Lipay, doutor em cirurgia em Urologia, alerta que 25% dos portadores de câncer de próstata morrem devido a doença. Sobretudo porque o diagnóstico muitas vezes só acontece quando os sintomas começam a aparecer. Nessa fase, no entanto, 95% dos casos já estão em estágio avançado.

Esta estatística é muito triste pois sabemos que, se detectado no início, as chances de cura são superiores a 90%.

Com tanta chance de cura, por que o diagnóstico acontece tão tarde?

Por várias razões.

A primeira delas é que quando os sintomas surgem a doença já está em estado avançado. Aí é que os homens vão procurar o médico. As chances de cura, contudo, são menores.

Em princípio é considerada uma doença associada a homens com idade avançada. Por isso muitos jovens não percebem que necessitam fazer uma visita ao urologista. Mesmo quando há histórico na família ou outros fatores de risco. Os especialistas sugerem visitas regulares ao urologista a partir dos 45 anos.

Mas a principal razão é a negligência! Isso porque ainda há um imenso preconceito dos homens com relação à medicina preventiva. Sim, estamos falando do tabu com relação ao exame de toque retal.

Tabus e preconceitos que atrapalham no diagnóstico

O exame de toque retal ou toque prostático é um dos grandes aliados da saúde masculina. É um exame clínico, rápido e indolor, mas que permite ao médico observar as características da próstata. Por meio deste procedimento o médico consegue avaliar o formato, tamanho e textura da próstata. Ao mesmo tempo permite verificar a presença de nódulos, que podem ser indicativos de um tumor. E não, não há outro exame que possa substitui-lo!

Assim sendo, trata-se de um exame necessário que permite o diagnóstico precoce do câncer de próstata, além de outras afecções. De acordo com o Dr. Drauzio Varella, a lista de moléstias que podem ser diagnosticadas incluem problemas como fissuras anais, hemorroidas e outras alterações no reto, uretra, ânus e canal vaginal. Sim, mulheres também podem precisar deste exame!

Mas por envolver a introdução do dedo indicador do médico no reto do paciente, esse exame é alvo de muitas piadas, preconceitos e constrangimentos.

De acordo com o médico urologista Dr. Rodolfo Santana, “o medo de fazer acompanhamento por conta deste exame é um grande mito da saúde masculina”.

De fato, medo, desconhecimento, vergonha ou receio de ter a masculinidade afetada são os principais obstáculos.

A região anal, sobretudo para os homens, ainda está fortemente associada a piadas. Mas como afirma o médico oncologista Dr. Leonardo Andrade Pinheiro, é preciso superar o preconceito. Antes de mais nada “o homem precisa encarar as questões relacionadas à sua saúde de maneira mais madura. A conscientização é a melhor maneira de quebrar esse tabu”, enfatiza o médico.

Quanto preconceito!

Só para exemplificar o tamanho do preconceito vejamos os estudos realizados pela Sociedade Brasileira de Urologia. De acordo com os dados coletados 47% dos homens entrevistados nunca fizeram o exame de toque retal. A causa? Na maioria dos casos é pelos excessivos preconceitos envolvidos nesse procedimento. Da mesma forma, um estudo da Bayer, produzido em parceria com a Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia (SBGG) aponta que 24% dos entrevistados acham o exame pouco “másculo”.

Sem dúvidas são dados alarmantes, pois esses tabus impedem o diagnóstico precoce que pode salvar vidas!

Exame te toque retal, rápido, simples e indolor, que pode salvar vidas!
O exame de toque retal é seguro, rápido e indolor.

Vergonha de se submeter ao exame

Alguns homens afirmam que sentem vergonha de se submeter ao exame.

Ok. Não vamos mentir. Sentir constrangimento é normal. No entanto, é necessário superá-lo e para isso é preciso buscar conhecimento.

Lembre-se que se trata de um exame médico, portanto não há nada de sexual envolvido. Ser examinado por um médico especializado não põe em risco a sua sexualidade! Ao contrário. Sua sexualidade pode ficar prejudicada caso sua saúde urogenital não esteja em dia! Há várias doenças da próstata que podem interferir no seu bem-estar sexual, resultando inclusive em ejaculações dolorosas.

Você não terá que ficar em nenhuma posição constrangedora. O médico usará luva descartável e lubrificante, portanto é um exame seguro e você não sentirá dor.

O exame tampouco pede preparação prévia. Como não causa nenhuma lesão, então não é preciso nenhum cuidado específico após a realização do mesmo.

Por fim, lembre-se que o exame de próstata faz parte das funções do médico urologista. Este profissional está muito acostumado a fazer isso!

E sabe qual é a melhor parte? É um exame barato, portanto você não será surpreendido com uma conta exorbitante!

Agora que você já sabe como é feito o exame e os benefícios que ele traz, pode deixar os medos de lado! Sua masculinidade não está em risco!

Vencendo o preconceito

A questão da conscientização é central para vencer o preconceito. Segundo o médico urologista Dr. Mário Chammas, a campanha Novembro Azul tem sido importante nesse sentido.

Com ela, consegue-se, de fato, levar informações a um maior número de homens, incentivando-os a fazerem uma consulta preventiva. Mas a sua ação vai além.

A especialista em Psicologia Tatiana Pimenta aponta a necessidade de atingir amplamente o modo de pensar de todos os homens. Sem dúvida, se os homens têm receio ou preconceito de ir ao médico, é esse próprio preconceito que tem que ser revisto. O primeiro passo, de acordo com a especialista, é deixar claro que os procedimentos médicos não envolvem orientação sexual, dor ou piadas. Trata-se, sim, de uma questão crucial de saúde. Vai além de credo, orientação sexual, identidade de gênero e qualquer outro aspecto. Mas também é preciso rever o que entendemos por masculinidade.

Pensando nisso muitas ações do Novembro Azul ultrapassam o escopo do câncer em si.

Entre as ações da campanha está chamar a atenção para o assunto. A fim de conseguir isso, monumentos são iluminados de azul neste mês, como no caso do Cristo Redentor, considerado por muitos o símbolo do Brasil.

Cristo Redentor iluminado para a Campanha Novembro Azul. Foto Instagram @novembroazul

Movember

Certamente uma das ações mais globais e chamativas do Novembro Azul é o evento conhecido como Movember. A palavra vem da contração dos termos em inglês Moustache (bigode) e November (novembro).

Movember é um movimento que começou na Austrália, em 2003, com uma ação entre amigos, que deixaram o bigode crescer. Resolveram, então, dar uma causa a esse gesto. Assim que acabaram escolhendo transformar o gesto em uma campanha sobre a saúde masculina e o câncer de próstata. A ação rendeu seguidores e em 2004 já haviam se transformado na Fundação Movember.

Em 2007 as ações se tornaram internacionais e atualmente englobam 21 países. Primordialmente realizam campanhas de conscientização sobre os principais temas relacionados à saúde do homem e arrecadação de fundos para pesquisas médicas. O movimento Movember, por conseqüência de suas ações, popularizou o bigode, que encontramos em várias imagens da Campanha Novembro Azul. Dessa maneira tornou o assunto leve e divertido e com linguagem atual!

Logo da Movember Foundation
A Campanha Movember torna o assunto da saúde mais leve e divertido.

Moda pela Cura

Outra ação que visa conscientizar sobre o câncer de próstata, mas desta vez usando a moda como sua protagonista é o Blue Jacket Fashion Show.

Contrariando a ideia de que moda e câncer de próstata não podem andar juntos, o Blue Jacket Show une designers, celebridades, atletas, apresentadores e ícones da mídia. Como resultado de esse esforço conjunto surge um verdadeiro show de moda.

Trata-se de um evento para aumentar a conscientização e levantar fundos para pesquisas sobre câncer de próstata. Acontece anualmente como parte das atividades da New York Fashion Week em parceria com a Prostate Cancer Foundation.

É uma noite de gala visando ajudar os homens a se sentirem bem com esse assunto. A jaqueta azul é simbólica. Embora o evento aconteça em fevereiro, por fazer parte da New York Fashion Week que acontece nessa data, usa a cor azul, associada mundialmente à conscientização sobre o câncer de próstata.

Celebridades são os modelos na passarela. Além de desfilar também discursam sobre a importância da prevenção. Em outras palavras, usam sua popularidade para romper os tabus e criar outro mindset sobre masculinidade.

Músico David Byrne
Top Model Alex Ludqvist
Bill Nye
Apresentador Bill Nye

Celebridades desfilam na passarela do The Blue Jacket Fashion Show 2020

Falar abertamente sobre o assunto

No mundo da moda no Brasil, quando falamos de câncer de próstata devemos lembrar o nome do estilista Clodovil Hernades. Mesmo que tenha falecido em 2009, Clodovil permanece como uma das celebridades que mais divide opiniões até hoje. Ame-o ou odeie-o, é preciso reconhecer, no entanto, que Clodovil falou abertamente sobre ser portador de câncer de próstata. Ele seguia essa linha de raciocínio que acha que devemos falar sobre o assunto. Jamais colocá-lo debaixo do tapete.

Em 2007, enquanto ainda era vereador, Clodovil elaborou um projeto de lei que previa a obrigatoriedade do exame de toque retal em espaços públicos de saúde. Sua preocupação abrangia também os desprovidos economicamente.

A personalidade polêmica de Clodovil, aliada à sua fala aberta certamente ajudou a trazer visibilidade para o assunto.

Clodovil Hernandes, estilista que teve câncer de próstata.

Celebridades

Casos mais recentes de celebridades que superaram o câncer de próstata incluem os atores Ben Stiller, Robert De Niro & Ian McKellen. Este último foi diagnosticado aos 60 anos e foi pai pela sexta vez aos 68 anos de idade. Este fato ajuda a desmistificar a crença de que tratamentos para câncer de próstata causam necessariamente infertilidade ou disfunção erétil.

Vale lembrar que os três atores mencionados estão vivos e atuantes.

Robert De Niro ajuda a desmistificar crenças sobre o câncer de próstata

Celebridades que superaram o câncer de próstata servem como modelos para superar o preconceito

No Brasil

No Brasil, temos como referência de celebridades sobreviventes o cantor Martinho da Vila e o diretor Jayme Monjardim.

Celebridades brasileiras que enfrentaram o câncer de próstata.

Casos de sucesso de celebridades servem para popularizar o assunto. É preciso tirar o câncer de próstata das sombras e mostrar que não é vergonha nenhuma ir ao médico ou enfrentar a doença. Ao contrário. Assim sendo, histórias reais de pessoas públicas ajudam a mostrar que é possível, sim, encontrar a cura e seguir vivendo com qualidade.

E na vida real?

Na nossa vida cotidiana é importante vencer o medo e a vergonha. Por isso, procure ajuda, informe-se, converse com seu médico.

Em resumo, siga o lema proposto pela Sociedade Brasileira de Urologia: Seja o herói da sua vida!

O convite do Novembro Azul é que você seja audacioso! Vença as barreiras, tabus e preconceitos que lhe impedem de cuidar devidamente da sua saúde!

Essa é a nova visão de masculinidade: um homem consciente de sua saúde! E isso, vamos deixar bem claro, independe de sua identidade sexual e orientação de gênero.

Lembre-se que a sua saúde faz muita gente feliz!

Campanha Novembro Azul: Seja Herói da sua Saúde.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Gostou deste artigo? Compartilhe

Buscando por algo?
Pesquisar

Mais Recentes

Um guia completo de como funciona uma confecção de roupas

Existe um fascinante processo de como funciona uma confecção de roupas, desde a concepção inicial até a produção final. Entenda!
mullher entendendo como digitalizar moldes de roupa utilizando o audaces digiflash

5 passos simples para você aprender como digitalizar moldes de roupa

Como a digitalização de moldes revoluciona a moda? Agilizando processos e ampliando possibilidades para profissionais do setor. Saiba mais!
Mulher criando moldes para costura

Como a tecnologia pode facilitar os processos de modelagem e costura

Desenvolver coleções com eficiência e qualidade é mais fácil quando você utiliza tecnologia na hora da modelagem e costura. Saiba como!

Tire suas dúvidas e saiba como ter a sua confecção de moda própria

6 cursos de modelagem que vão ajudar a melhorar seu desempenho

Confira a tabela de composição dos tecidos e conheça os mais utilizados

Conheça a multissolução Audaces360 e otimize a sua produção desde já!

Entenda o cenário atual e como se manter competitivo no mercado da moda

sobre o autor
Audaces
sobre o autor
Audaces

Artigos relacionados

Um guia completo de como funciona uma confecção de roupas

Existe um fascinante processo de como funciona uma confecção de roupas, desde a concepção inicial até a produção final. Entenda!
mullher entendendo como digitalizar moldes de roupa utilizando o audaces digiflash

5 passos simples para você aprender como digitalizar moldes de roupa

Como a digitalização de moldes revoluciona a moda? Agilizando processos e ampliando possibilidades para profissionais do setor. Saiba mais!
Mulher criando moldes para costura

Como a tecnologia pode facilitar os processos de modelagem e costura

Desenvolver coleções com eficiência e qualidade é mais fácil quando você utiliza tecnologia na hora da modelagem e costura. Saiba como!

Newsletter

Receba conteúdos e novidades Audaces Artigos, tutoriais e materiais educativos, enviados para seu inbox.

Ao cadastrar, você aceitará nossas Política de Privacidade

Newsletter

Receba conteúdos e novidades Audaces Artigos, tutoriais e materiais educativos, enviados para seu inbox.

Ao cadastrar, você aceitará nossas Política de Privacidade