Audaces - Improve your design

Design de moda com foco em resultados para seu negócio

Ícone de Pesquisa

25/09/2013

Função da peça-piloto para a modelagem

2 min

No processo de confecção do vestuário, primeiramente, o estilista (criador) desenvolve a coleção repassando os desenhos para o modelista. Este, por sua vez, os transforma em partes fragmentadas com dimensões reais conhecidas como molde. Feito isso, o molde é cortado sobre o tecido no qual será confeccionado uma peça-piloto.

A função da peça-piloto para a modelagem é a de servir de base para reproduzir um produto em escala, ou seja, utiliza-se esta terminologia no vestuário para designar a primeira peça de roupa a ser confeccionada para testes. Após correções, se necessárias, a peça servirá de apoio no processo produtivo, visando a cópia fiel deste produto, passando por todos os setores e finalizando o lote com qualidade.

A principal função da peça-piloto para a modelagem é a de apontar os possíveis defeitos durante a construção dos moldes, bem como volumes inadequados, recortes fora do lugar, excesso ou escassez de folgas, caimento de tecido, acabamentos, vestibilidade, conforto e fatores que possam comprometer a execução do produto. Para que esses itens possam ser verificados, é necessário que seja executada ainda nesta etapa a prova de roupa.

Na hora de realizar a prova, algumas empresas utilizam os manequins com medidas padrões. Porém, é de extrema importância que a prova da roupa seja realizada em um corpo humano vivo, que possua as medidas desejadas. Nesta etapa, é necessário também que o corpo do modelo humano seja medido no início das provas das roupas para conferência, cuidando para que não ocorra diferença nos tamanhos de uma coleção para a outra.

A prova tem a função de auxiliar o profissional a fazer o diagnóstico de eventuais defeitos que podem aparecer tanto na confecção da peça-piloto como na prova. Após a detecção das falhas, o problema é corrigido e costura-se uma outra peça.

Outra função da peça-piloto para a modelagem é a de evitar sérios prejuízos para a empresa, porque na sua correção pode-se evitar custos inadequados no processo produtivo e falhas e imperfeições que comprometam a qualidade do produto, como ganchos rasos ou com sobras, golas que não assentam, volumes exorbitantes, entre outros que não suprem a necessidade dos clientes.

Por Grazieli Pires
Professora do SENAI – Cianorte -PR
MBA em Design de Moda

Leia também…
Peça-piloto: garantindo a perfeição da peça
Pré-custo da peça: processo de criação de moda e viabilidade econômica
– Pesquisa na modelagem auxilia a evitar erros

 

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Você também pode gostar de ler:

mulher tocando tela holográfica

05/11/2021

A importância do IoT para as Indústria e as Confecções 4.0

Escrito por Audaces

19/10/2021

Degradê Confecções: como a empresa cresceu 13% com as soluções Audaces

Escrito por Audaces

inteligência artificial na moda

09/06/2021

IA e Moda: influência da Inteligência Artificial na Indústria Fashion

Escrito por Audaces

PLM na confecção de moda

28/05/2021

PLM: o que é, benefícios e como aplicá-lo na Indústria da Moda

Escrito por Audaces

rolos de tecidos em fábrica têxtil

19/11/2021

5 tendências para o segmento têxtil e a indústria da moda

Escrito por Audaces

robôs transportando estoque

12/11/2021

O que são e como funcionam as fábricas inteligentes

Escrito por Audaces

produto descontinuado Audaces

10/11/2021

Audaces comunica a descontinuidade de peças e suprimentos de Jet Print e Jet Print Plus

Escrito por Audaces