Audaces - Improve your design

Design de moda com foco em resultados para seu negócio

Ícone de Pesquisa

18/02/2016

Entrevista: Gabriela Marçal fala sobre Jornalismo de Moda

Por Eduardo Vilas Bôas

Professor de Moda do Senac SP

 

Jornalismo de moda talvez seja uma das atividades profissionais que mais tem encontrado novos interessados dentro das carreiras de moda. E não é difícil entender que parte dessa curiosidade advém da áurea de glamour que paira sobre a carreira.

Ainda que algumas carreiras como o estilismo e o jornalismo de moda possam ganhar os holofotes e a fama, não é só de pompas que vivem esses profissionais. Há rotina, dedicação, trabalho duro e muito estudo e, por desconhecer a vida real das profissões, muitos jovens acabam se evadindo dos cursos regulares. 

Aproveitei os dias corridos durante a semana de moda Minas Trend para conversar um pouquinho sobre a profissão com a jornalista Gabriela Marçal. Formada em Comunicação Social – Jornalismo pela PUC-Campinas e pós-graduada em Comunicação Integrada e Marketing pelo Mackenzie, atua como mídia social e jornalista para as editorias Vida & Estilo e Moda & Beleza do jornal Estadão e escreve para os blogs Radar Pop e Lindeza do próprio Estadão.

 

1. O que é o jornalismo de moda? Existem particularidades da área?

Acredito que os fundamentos do jornalismo permeiam a atuação em todos os setores da moda, esporte, cultura etc. O jornalismo de moda tem um olhar mais voltado para apontar tendências comportamentais e, consequentemente, tendências de vestimenta e beleza.

2. Quais são as principais dificuldades de um jornalista de moda?

Dificuldades existem em todas as profissões. Mas para mim o grande desafio do jornalismo de moda é apresentar conteúdos atrativos para o leitor sem fazer propaganda.  É um limite muito sutil, mas que pode ser o principal diferencial de uma cobertura de qualidade.

 

3. Como é a sua rotina na redação?

Eu tenho uma rotina diferenciada, pois não me dedico apenas à editoria de moda e beleza do Estadão. Além dessa atividade também trabalho com as mídias sociais do jornal. Então, costumo reservar apenas um dia da semana para as atividades de moda e beleza. Nesse dia, a rotina é apurar e escrever as reportagens, ir a eventos e encontros de relacionamento. Também somos responsáveis por atividades como publicar as matérias, fazer galerias de fotos, chamadas das matérias de moda e beleza para a home do Estadão, editar a subhome de Moda e Beleza e de Vida e Estilo e divulgar as reportagens nas mídias sociais de moda do jornal.

4. Qual é o melhor percurso para quem almeja ingressar nessa carreira?

É difícil indicar o melhor percurso, porque realmente cada um encontra seu próprio caminho. Sinto-me mais confortável em dizer qual foi o meu percurso: eu sempre estive disposta a dar o meu melhor nas vagas e empresas em que eu encontrava uma oportunidade, sendo na área de moda ou não. Até que comecei a trabalhar no Estadão e pude ter o blog 'Lindeza' para escrever sobre beleza. Ir para a editoria de Moda e Beleza, assim que foi criada no jornal, foi uma consequência natural do meu trabalho nas outras frentes.

 

Saiba Mais:

Moda: propaganda x eventos

Entrevista: Schana Moschen, Designer Têxtil

Welton Zonatti fala sobre carreira e sustentabilidade

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Você também pode gostar de ler:

produto-de-moda-desenvolvimento-industria-4.0-audaces

24/11/2020

Como aperfeiçoar o produto de moda com tecnologias da Indústria 4.0

Escrito por Audaces

indústria têxtil

24/11/2020

Indústria têxtil: matérias-primas podem ser naturais e químicas?

Escrito por Audaces

Listras de tinta com cores do círculo cromático

16/11/2020

O que é círculo cromático e como combinar cores na moda

Escrito por Audaces