Audaces - Improve your design

Design de moda com foco em resultados para seu negócio

Ícone de Pesquisa

02/04/2013

A moda em quatro fases: O Império

 

O século XIX, considerado na moda a Idade Contemporânea, começa com diferenças sociais na época do Império, depois traz os valores tradicionais e materiais num período curto denominado Romantismo. Em seguida, chega a Era Vitoriana com a Revolução Industrial e finaliza o século com a ornamental Belle Époque.
Foram quatro fases distintas da vestimenta no século XIX, e por mais que uma delas durasse curto período, trouxeram significados e influências importantes para o mundo da moda. O post a seguir faz parte de uma série de quatro textos que vão abordar essa divisão significativa e tão contundente entre largo e justo, o aperta e solta, o ornamental e a simplicidade, todos antônimos entre si que fizeram a moda do século XIX.

IMPÉRIO: O Conforto

A sociedade francesa estava dividida em estados ou ordens, sendo entre elas o clero, a nobreza e o resto da população juntamente com a burguesia.

A insatisfação com as diferenças sociais e o excesso de privilégios das classes favorecidas gerou uma revolta popular que resultou na Queda da Bastilha, em 14 de julho de 1789. Foi a data-marco para uma revolução.

 

 

 

 

 

Créditos do livro: Moda, desde o século XVIII ao século XIX – Editora Taschen, 2004.

Após a revolução francesa e uma fase de crises, período do governo de Napoleão I, a moda começou a passar por transformações. A influência nas roupas era de origem inglesa e vinham do campo, tornando-se um aspecto de praticidade e real suavidade em resposta a toda a opulência do reinado de Luis XVI, no período do Rococó.

O novo sistema de governo francês considerava a antiga democracia grega como modelo, o que vai inspirar toda a moda do período do Império, com semelhanças até no corte do cabelo – cabelo à ventania.

 

 

 

 

PEACOCK, John. The chronicle of western costume. Londres: Editora Thomes & Hudson LTDA, 2003.

Napoleão proibiu a importação de tecidos da Índia, pois queria desenvolver a indústria têxtil francesa. Proibiu também a repetição em público de vestidos em sua corte pelas mulheres, pois a Inglaterra estava influenciando toda a moda masculina e a França queria influenciar a feminina.

A roupa masculina adquiriu sobriedade e o casaco passou a ser o do tipo inglês de caça. O uso de botas, golas altas e ostensivos lenços amarrados como adorno de pescoço eram frequente.

A roupa feminina se tornou menos ostensiva e extravagante. Os vestidos lembravam camisolas soltas, com recortes bem abaixo dos seios, e comprimento um pouco acima das canelas. Os decotes eram pronunciados em “V”.

Usavam tecidos brancos e transparentes, na maioria das vezes, como a musselina e a cambraia. Por motivos da transparência, as mulheres usavam uma malha por baixo do vestido, para não mostrarem a silhueta, além de se protegerem do frio.

Entra na moda o xale, complemento feminino que mais será usado no século XIX.

Por Roberto Rubbo
Professor de Moda do Senac FAU

 

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Você também pode gostar de ler:

Designers de moda analisando desenho técnico de moda

22/02/2021

O que é desenho técnico de moda e como fazer com perfeição

Escrito por Audaces

29 anos da Audaces

12/02/2021

29 anos de Audaces: do sonho à Indústria 4.0

Escrito por Audaces

Profissional da Indústria 4.0 usando tablet para verificar e controlar a máquina de braços robóticos

10/02/2021

O que é Indústria 4.0 e como ela vai revolucionar sua confecção

Escrito por Audaces