Audaces - Improve your design

Design de moda com foco em resultados para seu negócio

Ícone de Pesquisa

10/06/2013

Tipo de modelagem: plana, tridimensional e vetorizada

A modelagem como processo essencial na confecção de roupas pode ser dividida em três tipos distintos: bidimensional ou plana, tridimensional ou moulage e modelagem vetorizada.

A modelagem bidimensional ou plana é iniciada a partir de uma tabela de medidas. Com esses dados, o modelista faz uma transposição gráfica do desenho, figura ou peça para o papel em função da geometria espacial.

O uso de réguas, curvas francesas, esquadros e outros instrumentos de medição – através de linhas retas, curvas, paralelas e perpendiculares – dão origem aos chamados moldes básicos.
 

 

 

Tipo de modelagem: moldes planificados feitos em papel/ Fonte: Arquivo pessoal

Interpretar visualmente o modelo desejado é de suma importância, uma vez que suas características são transpostas no papel de forma bidimensional. Detalhes, formas, volumes, medidas, tipos de costuras e montagens fazem parte da análise e são representados neste tipo de modelagem.

A modelagem tridimensional, também conhecida como moulage (termo em francês) ou drapping (termo em inglês), é fundamentada e construída a partir de um corpo ou busto de prova, seja feminino, masculino ou infantil.

Este tipo de modelagem consiste em uma forma escultural de desenvolver o modelo com precisão e proporciona maiores acertos no quesito vestibilidade da peça.

 

 

 

Modelagem tridimensional feita em manequim/ Fonte: Arquivo pessoal

 

Podemos considerar que os gregos, romanos e egípcios foram os precursores dessa técnica de modelagem, uma vez que era grande o número de roupas drapeadas inseridas no contexto de vestimenta histórica desses povos.

A modelagem tridimensional destaca-se por sua grande liberdade de construção e, até mesmo, poucos ou nenhum ajuste em relação aos resultados obtidos.

A modelagem vetorizada, o chamado CAD – desenho auxiliado por computador (em inglês Computer Aided Design) -, é iniciada a partir da modelagem bidimensional, inserida de forma vetorial, no qual o processo é informatizado.

 

 

 

 

Modelagem vetorizada feita no software Audaces Vestuário/ Arquivo pessoal

Essas ferramentas vêm ganhando espaço nas confecções e estão se tornando cada vez mais evoluídos e precisos na modelagem e desenvolvimento das peças. Os softwares para confecção têm grande capacidade de acelerar o processo de ampliação e redução dos moldes, bem como o encaixe e riscos dos tamanhos a serem cortados.

Atualmente, há uma grande procura dos profissionais da área em se especializar na construção dos moldes diretamente no computador (diagramas e adaptações de modelos). Afinal, construir bases e adaptá-las diretamente no CAD tem gerado maiores vantagens, mais rapidez e minimizado o tempo de produtividade.

Por Roberto Rubbo
Professor 
do SENAC Lapa Faustolo
 

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Você também pode gostar de ler:

produto-de-moda-desenvolvimento-industria-4.0-audaces

24/11/2020

Como aperfeiçoar o produto de moda com tecnologias da Indústria 4.0

Escrito por Audaces

indústria têxtil

24/11/2020

Indústria têxtil: matérias-primas podem ser naturais e químicas?

Escrito por Audaces

Listras de tinta com cores do círculo cromático

16/11/2020

O que é círculo cromático e como combinar cores na moda

Escrito por Audaces